subestimação

Sempre fui uma pessoa que acreditava nas pessoas e esperava o mesmo delas a meu respeito, sempre acreditei no que elas me diziam ser verdade, mas a vida acabou por me mostrar que nem sempre isso acontece, que existe pessoas que mentem e que fazem de tudo para complicar a vida a outras. já senti na pele atitudes destas, prejudicaram- me em muita coisa e me magoaram muito, até passei a ver o mundo cheio de maldade.
Com o passar do tempo comecei a pensar que isso acontecia sempre e que as pessoas eram todas menos boas e que todas tinham um fundo mau, até que entrei de baixa, com todas as operações que tive e com tudo que eu passei comecei a ver que quase metade do mundo pensa dessa forma. Rebelei- me e fui contra esse tipo de pessoas recusei- me ser esse tipo de pessoa, então comecei a não esperar nada de ninguém a não ser o respeito pela minha pessoa até à mais ou menos um ano. Não sei onde me perdi, saí desse meu caminho que estava a percorrer, nunca fui uma pessoa que me deixa-se influenciar por alguém com muita facilidade, mas ao que parece deixei e, como consequência, saí do caminho, até à coisa de dias ter sido chamada a atenção e ter visto que estava a sair do meu percurso. Tive que rectificar algumas coisas que tinha escrito e em prol disso tive que rever alguns textos, onde vi, me revi e me apercebi que estava já muito longe daquilo que queria para mim e que tinha definido para o blog, inclusive.
Cheguei a esquecer aquela pessoa que estava construindo, pelos erros e pelas decisões que tinha tomado pelo caminho.
Cheguei a lamentar- me que não tinha ninguém na minha vida que queria um amor para mim, cheguei a pensar até que o tinha encontrado; coitada de mim nessa altura devia estar muito cega, a precisar de mudar de óculos, decididamente; deixei- me influenciar, porque esqueci da minha decisão.
Hoje tornei a voltar a ela, tornei ao caminho, que nos últimos dias me tem trazido coisas boas, muito boas, mas, também, tenho chorado muito, porque sei que errei muito neste último ano, que vergonha eu sinto de mim mesma. Subestimei e fui subestimada, revoltei- me, zanguei- me, tudo porque acreditei numa pessoa e deixei- me influenciar, pensava que ela tinha razão. Consequência: erros atrás de erros. Agora é hora de os corrigir, ou tentar corrigi- los.
Tal como fui subestimada e não gostei, acabei por fazer o mesmo sem me aperceber.
Nós subestimamos os outros, porque, simplesmente, acreditamos naquilo que os outros nos dizem, e pensamos que como os conhecem e têm estado em contacto com eles, que os conhecem melhor que nós e que têm razão, mas até nos podem dizer mentiras. ERRO! ERRO! ERRO!
Para sabermos temos que viver, só podemos saber se gostamos ou não depois de provar certo? Então porque não fazemos isso com as pessoas? Porque não damos o beneficio da dúvida? Isto para dizer o quê?
Que subestimei uma pessoa, que quando falei com ela e depois de tudo o que soube, acabei chorando de vergonha pelo erro que cometi, que vergonha só pensava eu. Hoje consigo ver isso. Então comecei a pensar onde me perdi? Onde ficou aquela Rute que não esperava nada de ninguém para não se desiludir, magoar? Onde está aquela pessoa calma que eu estava construindo? Depois lembrei- me perdeu- se à mais ou menos um ano quando deixou de seguir a linha dela e começou a pensar que os outros é que estavam correctos. Mas como nada acontece por acaso, de vez em quando «tropeçamos em pedras» que, eu considero chamadas de atenção, e nos fazem ver que estamos errados que essa não é a forma correta de ver as coisas, e que, apesar de toda a maldade que existe no mundo, existem pessoas boas, são raras, mas elas existem.
Como consequência desse tropeço, acabei revendo o meu blog. Voltei ao post, sobre as escolhas! Quando reli, chorei. A vergonha era, é tanta que já me deu vontade de desligar o blog.
Posso dizer que esta semana se não fosse pelas palavras de apoio que já recebi, dessas mesmas pessoas que subestimei, já não havia blog.
Hoje estou aqui para pedir desculpas a essas mesmas pessoas, e que, de alma bem aberta, posso dizer que isto tudo me tem custado muito, e que tudo tem uma consequência na vida. Andei tão magoada que cheguei a desenvolver mais um abcesso perianal, que já está a fechar após dois meses aberto sem o conseguir fechar. Para quem não sabe, tudo o que fazemos de mal, que vai contra o nosso subconsciente, ele, o subconsciente, faz questão de mostrar no nosso corpo algo para nos chamar a atenção. A mim posso dizer que foi esse dito abcesso e a visão, há qualquer coisa que ando a fazer que é errada e que não estou a ver bem o que é, mas se no mês passado tive que consultar um oftalmologista acho que este mês vai acontecer o mesmo, já estou com outra conjuntivite.

Isto tudo para dizer o quê? Que não subestimem, não o façam! Vão ter repercussões! Como o afastamento dessa pessoa, como a revolta dela, e depois de conhecerem podem vir a arrepender- se, ou deixarem passar uma pessoa que vos possa vir a ajudar de alguma forma na vossa vida.
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Experiência kefir

Sacada do dia

Comunicado às senhoras