3°Internamento

Quando pensava que já estava descansada de operações e internamentos sucessivos e como não há duas sem três...
Tinham passado cerca de 15 a 3semanas (não me lembro bem porque os dias para mim deixaram de existir para não me desiludir com o tempo que estou em casa) lá fui ser operada novamente de urgência.
Tinha saido nesse dia, estava no Pinhal Novo quando descobri que dentro do saco em vez de ter fezes, como tinha comentado com a minha mãe pelo caminho, tinha intestino. Por incrivél que pareça e ao mesmo tempo surreal eu vi o meu apêndice. Entrei em pânico não sabia o que fazer só me lembrei que tinha que mudar o saco. Agarrei no intestino e coloquei dentro do outro saco (sangue frio muito, muito sangue frio) disse para a minha mãe tenho de ir para Évora. Jantámos e fomos embora para Évora.
Quando cheguei a Évora tinha uma mistura de ansiedade e medo sei que quando entrei só pensava que queria que o meu 1C estivesse de serviço ou algum doutor que eu conhecesse, e estava a minha doutorinha. Descansei, acreditem que descansei mesmo.
O mais engraçado da situação a maca que se encontra na sala da pequena cirurgia do Hospital Espirito Santo em Évora deveria ser substituida porque os médicos altos acabam ali com as suas costas porquê? Porque a maca sobe mas desce por ela e o doente vai descendo aos pulinhos em cima da maca.
Quando me foi passada a informação que tinha que ir ser operada novamente, subiu em mim uma raiva tão grande que eu só me apetecia partir tudo, mas isso eu não mostrei aos médicos deixei isso para a minha mãe e para o meu namorado.
Fui para o bloco operatório com a minha doutorinha um outro cirurgião e o diretor da cirurgia.
A operação correu bem, mas acordei com uma dor muito estranha acho que era relacionada com o meu sistema nervoso, porque assim que eu explodi com o meu 1C a dor passou. Pois é correu mal para ele e sorte a dele eu estar com a dor porque, como eu costumo ferver em pouca água, teria lhe atirado com tudo o que eu tinha em cima da mesinha de cabeceira e acreditem que não seria pouca coisa.
Só um aparte: havia de ser giro devia sair no correio da manhã, manchete "Doente agride cirurgião após cirurgia".
Acabei falando com o cirurgião que me operou se poderia ficar comigo, porque com o 1C as coisas estavam a descarrilar de tal forma que eu comecei a ter medo de mim mesma. Este pediu que eu ficasse mais uns dias e falaria com o diretor. Foi o que fiz e mudei de cirurgião, mas para o diretor.
Poucos dias de ter alta comecei a vomitar tudo o que comia à exceção do pequeno almoço e da seia. Mas sai mesmo assim porque já não aguentava mais estar no hospital, na cirurgia 1. Não por ser maltrada pela equipa de enfermagem, mas sim pelas auxiliares (nem todas as pessoas têm capacidade para estar naqueles sítios a trabalhar, eu não consig esquecer que os últimos 3 dias de internamento, eu passeios sem dormir praticamente, devido à auxiliar entrar no quarto a gritar com as minhas colegas de quarto e acender as luzes todas não respeitando quem estava a dormir e a tentar recuperar de uma cirurgia). 

À equipa de enfermagem da cirurgia 1 quem têm sido incansáveis comigo O MEU MUITO OBRIGADO por tudo.

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Experiência kefir

Sacada do dia

Comunicado às senhoras